no

O que nós perdemos quando espécies são extintas?

Desde 1964, quando a IUCN – União Internacional para a Conservação da Natureza estabeleceu uma “lista vermelha” de espécies ameaçadas e começou a compilar dados coletados em todo o mundo, a lista tornou-se o banco de dados global preeminente de espécies ameaçadas de extinção e uma ferramenta essencial para a política de conservação. No entanto, a UICN conseguiu avaliar apenas cerca de 106.000 espécies das mais de 1,5 milhões de espécies de animais e mais de 300.000 plantas que os cientistas descreveram e nomearam – o que eles estimam ser menos de um quarto do que realmente existe lá fora. Um recente relatório intergovernamental sobre a crise da biodiversidade estimou que a extinção ameaça até um milhão de espécies de animais e plantas, conhecidas e desconhecidas. A IUCN espera aumentar o número de avaliações das espécies para 160.000 até 2020.

 

 

Peaky Blinders, a ficção e a realidade

Cientistas capturam imagens de peixe devorando um tubarão inteiro